Buscar
  • Thiago Aló

Desestatização do Porto de Santos prevê veto à demissão por um ano


Foi notícia: Concessionário fica impossibilitado de demitir sem justa causa e deve garantir programa de requalificação profissional.


Além do pedido de prorrogação da consulta pública envolvendo a desestatização do Porto de Santos, a audiência pública realizada pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) nesta segunda-feira (14) também discutiu temas como segurança jurídica, emprego e tarifas. Nela, chamou atenção o pedido da comunidade portuária sobre o direito de preferência aos arrendatários com contratos já firmados.


Já sobre a estabilidade no emprego, encarada com preocupação por trabalhadores portuários, Piloni garantiu que a desestatização da Santos Port Authority (SPA) seguirá o modelo utilizado na Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), “com a impossibilidade do concessionário demitir sem justa causa por um ano e um programa de requalificação profissional”.


O secretário de Portos ainda enfatiza que outras ferramentas são estudadas para aplicação no Porto de Santos. Uma das alternativas pensadas pelo Governo Federal é atribuir ao futuro concessionário da SPA obrigações de treinamento e capacitação de funcionários e trabalhadores avulsos.


Fonte e mais: Jornal Portuário - A Tribuna On-line


#rubenelianaadvogados#logistica#armazem#advocacia#judiciario#advogados#lei#direito#juridico#empresarial

0 visualização0 comentário